Salvaguardamos e valorizamos o património documental da Região.

Plano de classificação

Na casa de residência da rua do Pombal

Ações disponíveis

Ações disponíveis ao leitor

Consultar no telemóvel

Código QR do registo

Partilhar

 

Na casa de residência da rua do Pombal

Detalhes do registo

Informação não tratada arquivisticamente.

Identificador

776176

Nível de descrição

Série   Série

Código de referência

PT/ABM/JAS/P-A/001

Tipo de título

Atribuído

Título

Na casa de residência da rua do Pombal

Datas descritivas

Década de 1900 e post. 1930

Dimensão

293 negativos de vidro simples

Técnica de captação

Âmbito e conteúdo

Inclui, sobretudo, retratos dos filhos de Tristão Pedro de Bettencourt da Câmara e D. Eugénia Isabel de Sousa no jardim e pátio da casa, desde a infância até à idade adulta. Destaque-se um número significativo de retratos de adultos e crianças com disfarces de Carnaval, retratos dos filhos do casal com brinquedos e, ainda, duas fotografias tiradas no dia do casamento de Tristão Pedro de Bettencourt da Câmara e D. Eugénia Isabel de Sousa no quintal da casa.Contém um pequeno conjunto de fotografias que será posterior à década de 1930, visto que o jardim, visível nestas imagens, sofreu uma alteração bastante considerável em relação às imagens dos anos 30 do mesmo espaço.

Idioma e escrita

Português

Unidades de descrição relacionadas

Arquivo Regional e Biblioteca Pública da Madeira, 3.º Cartório Notarial do Funchal - 2.º Ofício, Livros de notas para escrituras diversas, liv. 1382, f. 81-83 (1899-09-30).Arquivo Regional e Biblioteca Pública da Madeira, Juízo de Direito da Comarca do Funchal, Autos cíveis de inventário obrigatório, cx. 1976-5 (1905-1906).

Notas

Joaquim Augusto de Sousa e sua mulher D. Eugénia Maria de Sousa compraram a propriedade localizada na rua do Pombal, cuja escritura foi lavrada a 30 de setembro de 1899, aos casais: José de Abreu e Maria José Correia de Abreu; e Francisco Augusto Correia e D. Francisca Augusta da Silva Correia. Com a morte de Joaquim Augusto de Sousa em 1905, a propriedade fica para a sua filha mais velha, D. Eugénia Isabel de Sousa, conforme o mapa de partilha de bens incluído nos autos cíveis de inventário obrigatório. Aqui residiu com o seu marido e seus seis filhos, vindo a falecer em 1946. A sua mãe continuou a morar nesta casa, tendo falecido em 1943, bem como a sua irmã, D. Gabriela Vera de Sousa, até casar em 1932.