We preserve and appraise Madeira’s Documented Cultural Heritage.

João Brito Câmara

Available actions

Reader available actions

 

João Brito Câmara

Description details

Record not reviewed.

Description level

Fonds   Fonds

Reference code

PT/ABM/JBC

Title type

Formal

Dates

1924  to  1970 

Dimension

6 cx.: 884 doc.

Support

Holding entity

Arquivo Regional e Biblioteca Pública da Madeira

Producer

Câmara, João de Brito Figueirôa. 1909-1967.

Biography or history

Poeta, jurista e cultor de letras, João de Brito Figueirôa Câmara nasceu em São Jorge de Arroios, Lisboa, a 13 de Maio de 1909. Na altura, os pais, João Câmara e Matilde de Brito Figueirôa Câmara encontravam-se a residir no continente. Aos quatro anos de idade, regressou ao Funchal, a terra dos seus progenitores. O seu primeiro livro de versos intitula-se Manhã (1.ª ed., Funchal, Tipografia Esperança, 1927). Concluído o curso do Liceu Nacional do Funchal, em 1927, inscreveu-se em Direito, na Universidade de Coimbra. A sua participação no movimento literário da Presença e a sua eleição como Presidente da Associação Académica de Coimbra, de 1931 a 1932, foram determinantes na vida futura. De regresso ao Funchal, em 1932, abriu banca de advogado. Em 1944, publicou a importante separata O Modernismo em Portugal. (Entrevista com Edmundo de Bettencourt). Foi nomeado Delegado da Sociedade Portuguesa de Autores na Ilha da Madeira, de 1956 a 1958. Proferiu conferências, promoveu encontros e exposições, entre muitas outras actividades culturais. A sua obra poética encontra-se compilada em Poesias Completas (1.ª ed., Coimbra, Atlântida Editora, 1967). Iniciou-se como jornalista, actividade que privilegiava profundamente, no quinzenário liceal Alma Nova. Correspondente do República, Lisboa, colaborou na imprensa da Madeira. Dirigiu o Eco Literário, Suplemento do Eco do Funchal. Como político oposicionista ao regime, além de discursos proferidos em sessões comemorativas, João Brito Câmara distinguiu-se como um vibrante orador em comícios de propaganda política. Inscreveu-se no M.U.D., (Movimento de Unidade Democrática). E nesta qualidade, tornou-se Delegado da Comissão Distrital das Campanhas Eleitorais de Norton de Matos de 1948 a 1949 e do General Humberto Delgado, em 1958. De 1958 a 1960, sofreu quatro processos judiciais interpostos pela P.I.D.E. Três foram processos crimes. Veio a ser preso no Funchal. Como jurista, era muito considerado. Numa tentativa de aproximar a jurisdição do público comum, publicou algumas das suas alegações forenses, em artigos de jornais e em opúsculos. João Brito Câmara faleceu, no Funchal, a 26 de Dezembro de 1967.

Acquisition information

Doação ao Arquivo Regional da Madeira em 12 de Janeiro de 2007, pela filha do produtor, a Senhora Dona Paulina Câmara da Silva.

Scope and content

O arquivo de João Brito Câmara (1909-1967) divulga a sua vida e obra, cujo percurso biográfico se apresenta original na produção literária madeirense. Além de advogado de sucesso, João Brito Câmara foi o primeiro oposicionista em campanha eleitoral. Na sua globalidade, os documentos revelam uma vida fiel a convicções de ordem social, moral e familiar. São cerca de cinquenta anos da vida e da obra de João Brito Câmara, desde os seus inícios de escritor, num pequeno jornal manuscrito em caligrafia escolar, quando contava apenas dez anos de idade, até ao ano da sua morte, em 1967. O inventário do arquivo de João Brito Câmara descreve as quatro secções seguintes: Documentos pessoais, Actividade literária, Actividade política e Actividade jurídica. As quatro secções deste arquivo contêm a mais variada documentação, como inéditos, recortes de jornais, crítica literária, biografias, manifestos, circulares, facturas, convites e cartões de visita, da jurisdição, da literatura e da política da Madeira e do continente.

Access restrictions

Acesso livre.

Other finding aid

Maria Mónica Teixeira e Fátima Barros, Arquivos de escritores e investigadores madeirenses: instrumentos descritivos, Arquivo Histórico da Madeira, vol. XXIII, Funchal, 2016, pp. 386-469.

Related material

Documentação Arquivo P.I.D.E./D.G.S., Torre do Tombo: Processos crime n.ºs 1181/58 e 219/60; Registo n.º 145/60 (não localizável); ofício n.º 1746, 17-11-1960; Pr.º 16439, 3.º Juízo Criminal de Lisboa.

Archivist notes

0919-20-16 - fbf - Nota do arquivista
Organização e descrição de Maria Mónica Teixeira. Orientação técnica e revisão de Fátima Barros.